Livro analisa relação entre ciências sociais e os movimentos urbanos

Que tipo de olhar as ciências sociais vêm desenvolvendo sobre os pobres urbanos das metrópoles da América latina? Pistas para a questão podem ser obtidas pela leitura de “Favelados e pobladores nas ciências sociais: a construção teórica de um movimento social”, de Alexis Cortés, publicação da EdUERJ.

A obra enfoca os movimentos sociais dos pobres no Rio de Janeiro e em Santiago, no Chile, os quais durante bastante tempo estiveram no centro de debate, gerando um vasto campo teórico sobre os problemas sociais das metrópoles. O autor propõe uma reflexão sobre a maneira pela qual as teorias e conceitos produzidos são, em determinados momentos, incorporados pelos movimentos sociais e seus atores.

Uma referência para esta linha de pensamento, inclusive mencionada no livro, é o sociólogo inglês Anthony Giddens. Para o intelectual, da mesma maneira que os cientistas sociais adotam termos diários e os utilizam em seus trabalhos, os leigos tendem a tomar conceitos e teorias das ciências sociais e utilizá-los de forma a justificar a própria conduta. Em sua pesquisa, Alexis Cortés cita também o conceito de dupla hermenêutica, de Giddens, e exemplifica: “a própria linguagem técnica das ciências sociais interfere no mundo leigo, modificando o mundo social que espera descrever”.

Trata-se de obra que, não obstante por vezes também seja profícua em informações históricas sobre o movimento de excluídos no Brasil e no Chile, tenha como foco as ciências sociais e o debate intelectual que propuseram sobre a questão urbana na América Latina, não obstante por vezes também seja profícua em informações históricas sobre o movimento de excluídos no Brasil e no Chile. Com este intuito, o autor se debruçou sobre as textualidades científicas produzidas a partir da segunda metade do século XX até os anos 1990, como artigos, livros, teses e documentos de trabalho. A pesquisa guiou-se pela necessidade cada vez maior de refletir a respeito da contribuição das ciências sociais para a constituição do movimento de pobladores e de favelados, compreendendo ambos os movimentos também como uma construção teórica.

Share this post
  , , , ,


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *